quarta-feira, 11 de maio de 2016

Top Yu-Gi-Oh: Melhores Batalhas do Anime!


Começando com a décima colocação, vemos algo raro, que aposto que nenhum de vocês esperavam. Sim, algo bom em ZEXAL! Pra variar, o Gallop caprichando muito no duelo final das temporadas. Esse, que encerra o ZEXAL (O que está em exibição atualmente é o ZEXAL II) é protagonizado por Kaito, agora, sem um sentido para duelar, desafiado pela tentativa de personagem que é o Yuma e um tal de Astral que era pra ser tipo um Faraó, mas deve ter sido feito no Paraguai.

Nesse duelo vemos o Yuma dando tudo de si, mas mesmo assim, comentendo missplays de iniciantes, ativandos cartas sem pensar nas consequências e o que resulta na vitória do Kaito, que faz um combo sensacional com seu deck apelão. Galaxy-Eyes Photon Dragon e posteriormente Neo Galaxy-Eyes Photon Dragon (O XYZ) não é pra qualquer um não, hein? E o pior de tudo é que ele nem tinha muito um motivo/vontade para duelar, imagina se tivesse. Mas bem, a melhor coisa  mesmo é ver o Yuma perdendo.


Já na nona colocação... um clássico dos duelos. Duvido que você não quis esganar o maldito do Weevil quando ele jogou as cartas do Exódia do Yugi no mar, a caminho da Ilha dos Duelos. Pois então que logo em seguida, no primeiro duelo de Yugi no campeonato, ele enfrente e massacra Weevil, que é um ex-campeão mundial. Não é brincadeira não?


O legal desse duelo é a introdução da fusão. É a mariposa lá também, bonitona e fodona, além do Yugi utilizando o poder de protagonista pra ganhar o duelo. Sim, esse é da regra clássica mas vale, porque ganhar do Weevil nunca é demais. Também vale citar outra duelo em que Weevil foi massacrado, mas dessa vez na Batalha da Cidade.

Joey, mesmo com a trapaça do inseto colocando um parasita em seu deck, consegue derrotar coisas como a Ultimate Greath Moth e seus 3500 pontos de ATK, na época perdendo somente para o Ultimate Blue-Eyes e para o Gate Guardian em termos de poder bruto (no caso do anime) e encerrando com a queda da Insect Queen, uma das cartas inseto mais apelonas já feitas, que aliás, é o ás do deck de Weevil nesse torneio, ou era, antes do Joey derrotá-lo.


Machine e seus otks insanos... foi isso que o irmãozão Jay (Jaden Yuki) teve pela frente na final da primeira temporada de Yu-Gi-Oh! GX. Zane, que eu prefiro chamar de KAISER, que é seu apelido na dublagem original, tem seu duelo de despedida da Academia de Duelos contra Jaden, mas não o Jaden que você conhece, na verdade, um Jaden BEM diferente do que qualquer um imaginaria, um que pensa antes de jogar uma carta.


E ficou comprovado que não funciona. Protagonista que não joga com o coração só enrola os episódios e acaba com o ritmo, algo proposital nesse episódio. Aliás, uma solução interessante para pensamentos de jogadas complexas no anime foi os flashes que o Yuusei tem durante os duelos em 5d's, onde ele faz uma espécie de "summon links" bem rápido preparando bem as suas jogadas.

Falando mais do duelo, temos um Cyber Dragon End do Kaiser insano versus o debutante Elemental Hero Shining Flare Wingman, que era até então a fusão suprema do deck de E-Heros do Jaden. O fim dessa brincadeira termina num dos raros empates que acontecem durante todos os animes, desconsideram os que terminam empatados por motivos de: o protagonista não pode ser destruído ainda, como é no primeiro duelo do Kaito vs Yuma no ZEXAL.


Duas gerações de duelistas se enfrentando. Um vindo direto do fim do mundo. Depois de toda a preparação para o WRGP e o campeonato em si, vemos Bruno, agora Antinomy, recuperando a memória e desafiando o nosso Yuusei para um duelo, com o objetivo de matá-lo.


Claro que não era bem isso, Bruno só queria chegar ao seu limite e mais uma vez ensinar ao jovem gafanhoto Fudo a fazê-lo, também. O duelo é sensacional por ser bem emocionante, é mesmo de vida ou morte e temos combos sensacionais, com os T.G. acabando com o Yuusei e a apresentação do Delta Accel Synchro, com o monstruoso T.G. Halberd Cannon, carta chave de Bruno. Yuusei chega até a fazer um combo de ataques INFINITOS, mas o Bruno nega. O resultado todo mundo já sabe, o Scrap-Iron Scarecrow Boy ganhou e, mais ainda, aprendeu muito, como sempre (O resultado disso é o fucking QUASAR que também vai ser citado aqui).

O duelo resultou na morte de Bruno, transformando-o também na melhor personagem de Yu-Gi-Oh! 5D's. Ainda sonho com um anime com ele de protagonista.


Muito de Yu-Gi-Oh! tem a ver com emoções, feelings. Mas poucas partes de toda a franquia conseguiram isso. Esse sexto lugar é um exemplo disso, assim como o 7º. Yu-Gi-Oh! GX começou como um anime bem divertido, com duelos bem gostosos de assistir e cartas bem legais como E-Heros, Ancient Gears mas teve um amadurecimento incrível ao longo de suas quatro temporadas.


Muito desse amadurecimento ocorreu com coisas bem fortes, mortes e muito mais, e ficou bem nítido durante a série, fora que ter um protagonista carismático como o Jaden ajudou muito. Você chega na última temporada e fala: "Ele mudou." E todo esse amadurecimento e o clima tenso do final do GX do pós arco da Yubel e  das batalhas contra o Darkness proporcionaram um dos duelos mais bonitos da série, Jaden vs Crowler (eu chamo de Chronos). 

A grande revanche do primeiro e mais épico duelo até então da neXt Generation, acontece por causa da grande mudança do professor Chronos. Depois daquele tutor mal das temporadas iniciais, ele amadurece assim como o Jaden, mas curiosamente fica mais mole, mais infantil. E uma infantilidade rende o segundo melhor duelo do GX. Chronos não quer que os alunos do terceiro ano da Academia de Duelos vão embora, então decide boicotar aulas para tentar reprovar de ano os mesmo, e ficar mais tempo com eles. É realmente muito lindo.

Bom, basicamente o Jaden vai lá e desafia ele para um duelo pra resolver a situação, com toda a Academia odiando ele, sem saber seu real desejo (os alunos de anos inferiores acabam apoiando o Chronos depois de certa parte do duelo, no fim). E além de toda essa carga emocional, é um puta duelo. Vemos os Ancient Gears ao máximo, com direito até a Ultimate Ancient Gear Golem, mas infelizmente os patrocinadores não queriam mais bancar a série e deu no que deu, vitória do Jaden e gostinho de fim de anime. (Sim, eu estava torcendo pro Chronos!).



Outro duelo de Ancient Rules, por essa ninguém esperava! Mas é claro que é Yugi vs. Pegasus. O Reino do Duelistas trouxe o card game ao mundo, então tem muitos duelos legais, e esse é o melhor deles. Pegasus com seu maldito olho do milênio prevendo tudo e com suas cartas chatas do Toon World praticamente tendo uma defesa perfeita contra o garoto em ascensão Yugi e o deck de seu avô.


Um duelo bem empolgante, apesar de longo. Temos a grande aparição do Magician of Black Chaos, que sem dúvidas é umas das cartas mais fodas do game em termos de estética e hype, só que na prática é tão inútil quanto o Fusionist, e não presta nem pra derrotar um Blue-Eyes White Dragon, mesmo sendo mais difícil de invocar. Mas temos o lindo do Kuriboh + Multiply destruindo totalmente a Thousand-Eyes Restrict que é outro monstro inútil pra caramba no card game, já que é super difícil de invocar.

Nostalgia e diversão no fim do arco dos Reino dos Duelistas, vale a pena relembrar.


O duelo das duas maiores almas dos cinco dragões. Esse é o nosso quarto colocado. Como sempre, os últimos episódios dos animes são super caprichados com duelos que prometem te marcar. E 5D's não fez diferente. Pra fechar com chave de ouro, Jack vs Yuusei! Red Nova Dragon vs Shooting Star Dragon!


Um duelo sensacional que acaba por encerrar o time 5D's após o episódio ocorrido com o Z-One e guiando todos os antigos participantes para escreverem sua própria história. Os dois grandes pilares finalmente se enfrentando de novo e dessa vez num nível totalmente diferente, quem poderia esperar algo melhor? Ainda mais com o Yuusei, o mais passivo e sem personalidade dos protagonistas, querendo seguir em frente enquanto o resto está totalmente perdido.

É um duelo que vale muito a pena ser assistido e que porra, é uma aula. E o melhor de tudo, apesar da vitória do Yuusei, ele não termina com o Stardust, ele termina com o Junk Warrior, dizendo que mesmo com tantas cartas novas e accel synchro's, ele não esqueceu sua origem, onde ele foi criado, no junk onde aprendeu o que é duelar. Incrível.


Depois de Jack vs Yuusei, um clássico Kaiba vs Yugi. Mas dessa vez, o melhor. A Batalha da Cidade foi realmente o melhor arco de Yu-Gi-Oh! no mangá, e sem dúvidas esse é o melhor duelo de todo ele. No anime mudaram muitas coisas inúteis durante o arco, o que acabou estragando um pouco e o deixando chato. Acho que o único acerto foi a adição da Ultimate Greath Moth no duelo Joey vs Weevil, pra dizer a verdade. 


Voltando ao duelo, a Batalha do Coliseu nas semifinais da Batalha da Cidade é sensacional, e sem dúvida poderia estar no top 1 dessa humilde lista. Mesmo com o advento dos Deuses Egípcios, quem decidiu as lutas foram as cartas que importam de cada jogador. Vemos o Obelisco, o Slyfer, todo mundo apelando e então a parte que mais importa, Blue-Eyes Ultimate vs novo Spellcaster do Yugi.

Pra quem não percebeu, sempre que o Takahashi precisa de algo para "upar de level" o Yugi, ele vem com um novo Spellcaster, e esse não deixou de ser sensacional.  Com um efeito nada apelão de ganhar 500 pontos de ATK para cada dragão no campo ou no cemitério de ambos os jogadores, o Dark Paladin, com 2900 de poderio, foi inserido na história, e a mudou. E claro que o Dark Magician tinha que estar no meio, é nada mais nada menos que a fusão dele com o Buster Blader!

A carta, claro, eternizou o duelo e caiu nas graças do povo que até hoje ama ela, apesar de não ser mais tão utilizada no meta atual, afinal, é meio impossível contra os infinitos Synchros e XYZ, mas apesar de tudo, foi um duelo muito bom de se ver onde o Yugi realmente ultrapassou o seu limite como duelista. Bem melhor que o duelo posterior contra Marik e o temido Ra, que não foi bem um duelo... Mas bom, essa semifinal rendeu ao Yugi o Obelisco, principal carta do deck de Kaiba até então.


Yuusei vs Z-One, o único duelo contra Last Boss das novas gerações do top. E por um motivo bem especifico, já que geralmente duelos contra os mesmo são bem chatos com um monte de coisas interferindo e a maioria não se pode nem chamar de duelo, se for ver. É mais um shadow game. Ah, eu não disse o motivo? Ele é mesmo um só: Shooting Quasar Dragon.

Não preciso dizer mais nada, o mais épico dos summons já feito. MUST WATCH. E ah, foda-se o Z-One, o plot é bem legal, mas ele é tão carismático quanto o Yuusei, ou seja, uma pedra. Aliás, eu sempre digo que o Yuusei não é carismático, mas mesmo assim gosto do 5D's. Por quê? O deck dele é carismático. Just this. Ele se expressa através dos duelos, mas não tem a mesma efetividade nas ações, tornando-o chatíssimo.



O melhor duelo de todos, encerrando o anime de Yu-Gi-Oh! GX, Yugi vs Jaden. Você vê que o negócio tá em outro nível quando ele não precisa ter um desfecho, você aceita ele não acabar. Você termina ele, do jeito que preferir.

Esse é o duelo do Yugi contra o Jaden. Ele é sem dúvidas o mais apelão de todos. Jaden usando todas as suas técnicas pra tentar fazer algo contra o baralho invencível do Yugi, nada comparado com aquele que ele enfrentou na Academia de Duelos do carinha que o roubou durante um tour por lá, nada. E como eu já disse, não tem fim, o que deixa ele ainda melhor, mais perfeito. Não importa como o Jaden chegou lá, importa que não tiveram medo de fazer isso e acertaram muito. 

Esses últimos duelos eu não comentei muito, porque não tem o que comentar, você tem que assistir. É tanta coisa que palavras não podem expressar. Sim, o fim de Yu-Gi-Oh! GX é mágico.


Outro duelo de final de série. Yugi vs Atem é simplesmente uma das coisas mais incríveis já feitas que me fez sem hesitar por um segundo dar 10 para o mangá após o término de sua leitura. Toda a conotação da morte feita... simplesmente incrível.


Vemos o faraó com todo o seu poder bélico, deuses e tudo mais, contra o Yugi, o verdadeiro Yugi, que você não conhece tão bem quanto imaginava, o Yugi que cresceu muito durante a série, mas não teve muito espaço, ficou quietinho, lá no canto dele, esperando sua hora de protagonizar, hora essa que encerrou a primeira série, hora essa a melhor do Yu-Gi-Oh! original.

Sim, Yu-Gi-Oh! é uma grande metáfora da morte, e sempre vive lidando com esse tema, ele é muito recorrente, e o fim é realmente uma morte. Mas o mais incrível é que é também o nascimento, o nascimento do garoto Yugi, que ao contrário do que dizem, nunca protagonizou o mangá, foi só um receptáculo para o faraó brilhar e transformar os Duel Monsters na febre mundial que é. 

Resumindo, foi bem legal e deu muita dó do pequeno Yugi, que apartir de então começará a caminhar com as suas próprias pernas com o título de Rei dos Duelistas sobre suas costas, finalmente mostrando suas true colors. Aliás, diga-se de passagem, o deck do Yugi é muito legal também, e poder ver mais dele foi ótimo. A Silent Magician é uma puta imagem dele, passando por cada estágio até chegar no seu final e ficar forte o bastante pra triunfar, o grande contrário do Dark Magician, que já era super forte desde o começo e foi meio que a representação da chegada do faraó.

Ele ficou fora do top, como extra, porque não tem nem como comparar com outros duelos.

------------------------------------------------------

Nenhum comentário:

Postar um comentário